quinta-feira, 15 de março de 2012

Translúcida


                                                      fotografia:  Miguel Quaresma   
 
Translúcida é a luz na íris arqueada
sombreada na exaltação do momento
que seduz a íngreme madrugada velada
e solta silêncios nas escarpas do vento

Translúcida é a forma do éter rasgado 
no rolar das vagas entre margens esbatidas
que inundam de cor o luar ondulado
e iluminam o crepitar das marés despidas 

Translúcida é a linha na tela cifrada
reticente no fruto maduro do amor
onde a certeza é senda indesejada
nos traços e na mestria do pintor

Translúcida é a sombra de luz sonhada
na brandura do mesmo mar prometido
onde se espraia a penumbra semeada
na síncope dum coração renascido…


 http://gandaembloglio.blogspot.com/

8 comentários:

Pluma Roja disse...

poética definición de traslúcido. Me gustó mucho.

Saludos cordiales.

Maria João disse...

Translúcida é a poesia, porque nos revela suaves e infinitas claridades.

Lindíssimo!

Um beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

umas quadras translúcidas e belas, assim como a foto que acompanha este post

muito belo!

obrigada e uma boa semana

um beij

Baby disse...

Translúcida sensação me ficou na leitura do teu poema.
Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Mais que isso, acho mesmo que as palavras são transparentes e cheias de significado.
Excelente poema, gostei imenso.
Beijos, querida amiga.

BRANCAMAR disse...

Muito lindo o teu poema, feito de tranparências, tal como a imagem.

Beijinhos de saudade.
Branca

BRANCAMAR disse...

Voltei para reler e sentir o "perfume" de alguém que me deixou boas recordações.

Beijos
Branca

Graça Pereira disse...

Saudades de vir aqui e ler estes teus poemas cheios de palavras translúcidas, cheias de cor....
O teu Momento...fugiu do meu! Espero apanhá-lo de novo, na praia,no momento em que o mar dormior na areia.
beijo
Graça