sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Sabes do tempo...

 
 
Sabes do tempo que fizemos nosso
entre margens líquidas de marés
que rebentavam ao entardecer
do lado certo duma só respiração
onde deixei guardado o coração

Sabes do tempo que queremos

mitigado entre pérolas lunares
rumo certo no fulgor clandestino
dum só voo da ave encantada
que rasga a cor da madrugada

Sabes do tempo perdido no tempo
mareante entre sinais decifrados
do outro lado do destino solar
brilho crescente nessa ermida
religada ao sentido da vida...



© Cristina Fernandes
https://www.facebook.com/OMomentoCertoPoesia
foto: Francisco Navarro
https://www.facebook.com/FrankNavarroFotografia

 

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

Poeta
Que faremos do tanto tempo
que nos resta?

heretico disse...

deixar que o tempo, tenha tempo...

gostei do poema

beijo

Nilson Barcelli disse...

Saber do tempo é saber da vida.
Excelente poema, gostei imenso.
Cristina, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.