terça-feira, 19 de outubro de 2010

luz respirada


envolta na margem do teu corpo
decifro a sombra alvorada de luz
e acendo a palavra inconfessada
fímbria dum respirar que seduz

reconheço na mesma respiração
o sopro quente do deserto molhado
provado na inversão deste chão
céu rubro do velho mar indomado

repouso no eco da tua assonância
o fulgor da vogal que me desperta
na profunda madrugada entoada

silenciada na paz da minha infância
e na tua pele revejo a porta certa
duma chave em nós reencontrada 



(para a minha luz "especial"...
que me inspira há quase sete meses...)


Imagem: Joma Sipe, in "Mayab" 
tela a óleo sobre cartão telado (2000)
http://jomasipe.no.sapo.pt/

26 comentários:

Leonardo B. disse...

[numa palavra que se deixa luzir, como a primeira luz do dia que se começa na madrugada]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Graça disse...

Luz inspiradora :)...

Beijo, Cris, escreves magnificamente.

piedadevieira disse...

Muito inspirador, Cristina.
Haja sempre luz nas suas poesias.
Beijinhos

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo e muito inspirado o teu poema, adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

RETIRO do ÉDEN disse...

«... nós é que nem sempre acertamos no que "ela" nos pede...»

Uma grande verdade deixada em teu comentário, que agradecemos.
Aos 16 anos, fiz uma grande escolha.
Quando tinha 36...teria ficado viúva, se essa grande escolha não tivesse acontecido.
Desde sempre que me habituei a ouvi-LO e a seguir a Sua intuição. Nunca a vida foi ingrata para comigo. Aceitei (com dor...mas teria sido ainda mais doloroso, se ateimasse no que não era benéfico para mim).
ELE está smpre a mostrar-nos o melhor caminho, por vezes não queremos ver o óbvio e vamos pelo caminho mais fácil e o que dá mais prazer.
Hoje, se algo menos bom se está a passar connosco, deve-se a escolhas mal feitas, de meu filho e que o colocou em depressão profunda. Se sofro não é por causa de acontecimentos que eu tenha criado, ou ateimado...mas sim, por terceiros. Passos mal dados ou por isto, ou por aquilo, dos componentes da m/família.
Sou pragmática e objectiva...
"quero e sempre quis, "ser escrava" de "não ser escrava".
Se nos entregarmos/confiarmos NELE, tudo vem no "momento certo".

Um poema lindíssimo.
A foto,foi a escolha perfeita.
Que a "luz respirada" seja sempre, mas sempre, a que Deus te dê.
Abraço afectuoso com muito carinho.
Mer

A.S. disse...

Cristina,

Fulgurante luz que te inspira para iluminar tão belo soneto!!!


Beijo...
AL

Pena disse...

Estimada e Linda Poetiza Amiga:
"...repouso no eco da tua assonância
o fulgor da vogal que me desperta
na profunda madrugada entoada

silenciada na paz da minha infância
e na tua pele revejo a porta certa
duma chave em nós reencontrada..."

Verdadeiramente, sublime. Perfeito.
Tem uma extraordinária e linda sensibilidade de sonho.
Adorei.
Bem-Haja, pela sua pura amizade.
Com respeito e sempre a admirá-la

pena

Excelente.
MUITO OBRIGADO pela sua simpatia no meu blogue que gostei muito.

© Piedade Araújo Sol disse...

Cris

sabes fazer sonetos muito bem, que quanto a mim são muito dificeis de fazer. este não foge à regra e está muito bonito.

que a tua luz inspiradora nunca te falte.

obrigada!

um beij

Vivian disse...

...que delícia de poema!

quanta inspiração vejo aqui
nesta tua alma linda!

parabéns, querida!

obrigada por me visitar,
e assim pude chegar aqui
para me encantar!

bjbjbj

manuela baptista disse...

os sonetos
são o lugar do amor

assoante o destino como a luz respirada!

um beijo, Chris

manuela

Pedrasnuas disse...

CONTINUA A SEGUIR ESSA LUZ QUE TE INSPIRA TANTO...

"A PORTA CERTA DUMA CHAVE EM NÓS REENCONTRADA"

BEIJOS

manuel marques disse...

Mas que inspiração!lindo.

Beijo.

Maria João disse...

Cris

Na palavra incofessada que se acende, escreves um soneto de amor belíssimo, cuja inspiração desejo que seja eterna.

Um beijinho grande

BRANCAMAR disse...

E que a tua luz te ilumine sempre, Cris.
Há tanto que desejo passar por aqui, mas por vezes as épocas da vida e o tempo não são tão elásticos quanto desejaríamos.
Venho com saudades e deixo beijinhos.
Branca

Mar Arável disse...

Haja luz

nos teus olhos

Virgínia do Carmo disse...

Um amor em águas tranquilas...

Beijinho!

Lilá(s) disse...

Quem me dera a luz me inspira-se assim!
Bjs

Ezequiel Martin Barakat disse...

Precioso, bello poema, lleno de amor y nostalgia por cosas que fueron alguna vez y que ahora encuentran un nuevo rumbo, un nuevo punto de partida: un faro.
Perdona por el español! Entiendo el portugués y lo estoy estudiando, y algún día, quizás, te pueda dejar un comentario en la lengua de Camoes.
Saludos grandes,

Ezequiel

heretico disse...

com chave de oiro!

belo soneto.

beijos

ADiniz disse...

Bom Dia

Uma passagem rápida e urgente
Pra desejar-te uma semana em Paz e cheia de amor feito esta Lua cheia.

Bjinhos

Nilson Barcelli disse...

Excelente soneto, querida amiga. O teu respiraar (da tal luz) faz nascer boa poesia.
Boa semana, beijos.

Baby disse...

Quando se respira luz e uma luz dourada assim, não haverá sombra que se aloje em ti!
É tudo o que posso desejar-te...

Beijos.

luz efemera disse...

Uma escrita que merece ler-se...

A.S. disse...

Cristina...

Quão doce e angelical inspiração para tão belo soneto!...


Beijos
AL

Graça Pereira disse...

Quando se encontra a chave da felicidade, tudo ganha uma nova luz...esta mesma que o teu soneto resplandece!
Beijo carinhoso.
Graça

carlos pereira disse...

Excelente soneto, muito bem construído.
Gostei muito.
Um abraço.