sábado, 10 de abril de 2010

Aprendo-(Te)


Aprendo-te mas não te prendo
Na aprendizagem vivenciada
Do tempo ainda breve crescendo
Das tuas mãos a cada chegada

Aprendo-te no verde do olhar
Maduro em ti, estranha surpresa
Do pouco que sei – sabendo-te
Ferida que guardo ainda ilesa

Falas do círculo subtil do meu olhar
Entre o castanho e o verde profundo
Quando planas dentro de mim sem fim

Breve ainda é o tempo deste novo mar
Que desagua na terra a cada segundo
Talvez sejas tu – o outro lado de mim



Ainda não sei do oásis que descobri no meio do meu deserto, talvez… 
ainda não sei, mas quero saber-(Te)...
uma semana depois…
talvez a Lua saiba de Nós, ainda sem nós...


(será que as palmas foram para nós?)

26 comentários:

Maria Lúcia disse...

Oi
Passei pra ver o seu
blog e saber de você.
Beijos...
Lúcia.

Sonhadora disse...

Minha querida Lindo o teu poema...adorei.
Deixo um beijinho

Sonhadora

Pelos caminhos da vida. disse...

A amizade é como um navio no horizonte.
Nós o vemos, cortando contra o céu,
e em seguida ele avança,
desaparece de vista,
mas isto não significa que não continuará.
Essa amizade é linear.
Ela se move em todas as direções,
nos ensinando sobre nós mesmos
e sobre cada um de nós.
É por isso que no transcurso de fortes amizades,
estaremos presentes um para o outro,
mesmo que, nem sempre,
estejamos visíveis.

( Shirley Maclane ).

Obrigada pela sua.

Fim de semana de luz.

beijooo.

RETIRO do ÉDEN disse...

Lindo...
Feliz Sábado
Bjs.sinceros e forte abraço
Mer

antonio - o implume disse...

As feridas que tomamos aos outros não nos deixam ilesos...

A.S. disse...

Chris...

Belissimo soneto!
No amor, como na vida, a descoberta é permanente...


BeijOOO
AL

uminuto disse...

perfeito quando se encontra o outro lado de nós, mesmo que não seja a imagem reflectido no espelho, mas um simples reverso do que somos
um beijo

Lilá(s) disse...

Estou a aplaudir, as minhas palmas são mesmo para ti, LINDO como sempre!
Bjs

Mar Arável disse...

Muito bem

mesmo que seja verde o seu mar

Bjs

Nuance disse...

talvez..., talvez seja o outro lado..., dê-se tempo...

..., se estavam "em cena", as palmas foram certamente para vocês.
..., se estavam "fora e cena", não, as palmas não foram para vocês.

Abraço Chris!

Graça disse...

Lindo soneto, como tudo o que escreves... senti, neste, a esperança de um novo amor.


Um beijo, Chris.

heretico disse...

terno e doce. como a delicadeza do mar sobre a areia

beijos

Graça Pereira disse...

Chris
Fazedora de sonetos de todos os tempos... este tempo parece-me novo talvez descoberto no regresso de uma ida ao deserto... Não se volta igual...Não sei se é o oásis, o silêncio, o luar...volta-se com uma nova luz.
Aplaudo o teu soneto maravilhoso.
Beijo uma semana muito feliz.
Graça

Ana Oliveira disse...

É sempre lindo o luar sobre o deserto, como este soneto fez adivinhar...

Um beijo

. intemporal . disse...

.

. bel.íssimo o momento .

. entre.dedos tarsos de amizade tanta .

.

. parabéns, Chris .

.

. um beijo meu,,, .

.

. paulo .

.

A.S. disse...

Chris...

Um oásis é um prodigio de vitalidade. Aprendeu a sobreviver entre as dunas do deserto!


BeijOOO
AL

Mona Lisa disse...

Olá

Um soneto magnífico...um descobrir do amor!

Bjs.

margusta disse...

Chris, muito bonito o soneto!
Um beijo,
Margusta

Pedrasnuas disse...

APRENDER,AMAR E LIBERTAR...NÃO É FÁCIL...É MAIS COMPLICADO DO QUE PARECE...TENTA-SE!

BEIJO

APC disse...

As palmas são sempre para nós..

Baby disse...

Oásis, deserto, lua, tudo se conjuga para um final feliz!

beijos.

Maria Valadas disse...

Chris,

Uma perfeita contrução de sentimentos, que embelezam o soneto.

Sublime.

Resto de boa semaba.

Beijo.

Maria

Et disse...

Conhecer o outro, sem pressas num clima de confiança e total liberdade...
Belo soneto!

Gostei de a ler

Bjinho

Maria João disse...

Chris

O amor, às vezes, é como as ondas do mar que apagam o que, tantas vezes sem saber, construimos na areia... mas logo vêm outras, cuja espuma trás esse verde mar de esperança e pureza que nos faz construir tudo de novo!
Há sempre um mar, que é o outro lado nós... sempre!

Lindíssimo soneto, na foma e no conteúdo.
Um beijinho

heretico disse...

poema povoado. de afectos e sentires.
gostei muito

beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

poema perfeto.

sentido, e tão cuidadosamente escrito.

gostei muito!

um beij