quarta-feira, 22 de maio de 2013

Profundas são as águas

   
Profundas são as águas
cúmplices no resgate das pedras
adormecidas na súplica aflorada
dos ecos etéreos da madrugada

Profundas são as águas
ébrias no desaguar dos luares
porosos de sentires amordaçados
suspensos em céus sombreados

Profundas são as águas
arqueadas no grito surdo do tempo
de velhos silêncios mareantes
audíveis nas estrelas errantes

Profundas são as águas
no sonho sem chão – tentação
de beber a candura reencontrada
no crepúsculo da paz esperada
 

© Cristina Fernandes
https://www.facebook.com/OMomentoCertoPoesia
foto: Francisco Navarro
https://www.facebook.com/FrankNavarroFotografia
 

3 comentários:

heretico disse...

profundas as águas. e seiva que alimenta os sonhos...

gostei muito.

beijo

Cristina Cebola disse...

Um poema brilhante, que nos transporta à profundeza dos sonhos...

Só hoje descobri este seu canto, e gostei muito!

Deixo beijinhos!***

Anónimo disse...

Um poema brilhante, que nos transporta à profundeza dos sonhos...

Só hoje descobri este seu canto, e gostei muito!

Deixo beijinhos!***