sábado, 13 de março de 2010

(Hoje) não me leves contigo



No silêncio guardo a tua afluência
sem moldes subjugados ou vozes conjuradas
apenas um rio azul  na ingerência
da folha branca, dançam as palavras veladas

No silêncio oiço a tua voz combalida
tolhida pela dor, respiras o som como odor
suscitas o merecimento cabal da vida
em mais um palco escasso do velho fulgor

Repetes o discurso antigo
dedilhas as palavras, pranto e liturgia
finges na entoação um novo toque criador

Hoje não me leves contigo
quero-te sozinho na estridência da noite fria,
entre cordas e sons, na desistência do Amor



Foto: tela a óleo de Teresa Dias Coelho [2000]


 

Hoje não me leves contigo...





quero o silêncio das formas cauterizadas, dos sons feitos ruídos sem palcos, do alheamento encenado das luzes descompassadas, da tua voz embargada, bebida no segredo da mulher que te mudou o olhar e a existência…  
talvez, a última...


35 comentários:

Lídia Borges disse...

"Hoje não me leves contigo
quero-te sozinho na estridência da noite fria,
entre cordas e sons, na desistência do Amor"

Mais um soneto intenso e muito bonito!
É sempre um prazer passar aqui!

L.B.

RETIRO do ÉDEN disse...

Hoje é hoje...amanhã se verá!
Sê Feliz
Bjs.sinceros
Mer

direitinho disse...

Lindo o poema. Os nossos sentimentos se cruzam para além do imaginário.
Aqui as cordas e os sons fazem o silêncio do amor que vai partindo e voltando

Virgínia do Carmo disse...

Na desistência do amor, a solidão.

Como dói...

Beijinho

Pluma Roja disse...

Preciosos versos cubiertos de poesía.

Saludos cordiales,

Hasta pronto Chris. Un beijo.

Ailime disse...

Amiga,
Que lindo soneto onde sentimentos profundos saíram das suas belas palavras.
Talvez amanhã o sol brilhe com maior fulgor.
Deixo um beijinho e o meu agradecimento algo tardio pela visita ao meu cantinho.

© Piedade Araújo Sol disse...

nostálgico, mas mais um belo soneto.

um bom domingo!

beij

Sonia Schmorantz disse...

Lindo e nostálgico poema!
beijo, uma ótima semana

Multiolhares disse...

Há silêncios necessários, por vezes momentos muito importantes.
beijinhos

Lilá(s) disse...

Por vezes gosto do silêncio.
Bjs

Pelos caminhos da vida. disse...

Te Desejo Nesta Semana...

Paciência para as dificuldades
Tolerância para as diferencias
Benevolência para os equívocos
Misericórdias para os erros
Perdão para as ofensas
Equilibrios para os desejos
Sensatez para as escolhas
Sensibilidades para os olhos
Delicadezas para as palavras
Coragem para as provas
Fé para as conquistas
E amor para todas as ocasiões...

Que Você tenha uma Semana Maravilhosa!


(Autor Desconhecido).

beijooo.

Sonhadora disse...

Minha querida
Como são tristes e lindas tuas palavras.dizem-me muito.

beijinhos
Sonhadora

José Carlos Brandão disse...

Gostei. O seu silêncio cantou para mim. Obrigado.
Beijo.

Braulio Pereira disse...

olá amiga

obrigado pelo te comentario

as tuas palavras me
motivam ainda mais
gosto de ler teus poemas sâo lindos
dulçura . sensualidade.
intensa melodia. como uma suave e
musica !!

beijos e poesia!!!

Graça Pereira disse...

"Hoje, não me leves contigo" e o silêncio, a ausência trarão respostas? Será que o amor desiste só porque lhe negamos companhia?
Eu julgo que o amor nunca se cansa e teremos sonetos maravilhosos para ler...sempre!
Beijocas
Graça

O Árabe disse...

Quantas coisas podemos ouvir no silêncio... dele nos vem uma linda canção. :) Boa semana!

Pedro L. de Carvalho disse...

Chris,

Uma beleza o seu poema, que deixa passar o sentimento de que algo (o amor) está a dissipar-se; daí a nostalgia que sentimos ao lê-lo.

Abraços,
Pedro.

Baby disse...

"Hoje não me leves contigo
quero-te sozinho na estridência da noite fria,
entre cordas e sons, na desistência do Amor"

Palavras que nos encantam e se encaixam tão bem no nosso sentir.
Obrigada!
Um beijo.

antonio - o implume disse...

O fulgor não é velho, mas escassos são os seus palcos...

Pedrasnuas disse...

"(HOJE) NÃO ME LEVES CONTIGO."
O TEU POEMA É OBSCURO,DISSIMULADO...NÃO SEI...SE CONSIGO DISSECAR COM MÃOS CIRURGICAS...NÃO CUSTA TENTAR...UMA TAREFA ASSAZ ÁRDUA...COMO ESTÁ ESCRITO ..."DANÇAM AS PALAVRAS VELADAS"- NOTO AQUI A PRESENÇA DE DEUS...
MAS...POSSO TER LITERALMENTE ENGANADA...


UM BEIJO

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta


Boa semana


Doce beijo

Pensador disse...

Lindo soneto, mas... quanta tristeza!
Eu sempre acredito na vitória do amor!

Nilson Barcelli disse...

Contundente.
Muito ao teu estilo (diria até de acordo com a tua personalidade, com o teu saber ver e querer... enfim, subjectividades construídas de te ler, aqui e ali...).
E poeticamente excelente, pese embora o "quero-te sozinho na estridência da noite fria" implacável...
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

. intemporal . disse...

.

. e assim prosseguem os dias ao sabor de um momento, o de hoje, na assertividade de uma prece que se invoca, por agora .

. bel.íssimo .

. um beijo meu .

.

. paulo .

.

Mar Arável disse...

No silêncio

também nascem flores

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful words and beautiful post !! Thanks for sharing !!

Et disse...

Gostei da dança das palavras deste belo e enigmático soneto...
As palavras por vezes dizem e não querem, querem e não dizem!

Luis F disse...

Nas asas do vento, trouxe-te um poema:

"As palavras
São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas...."
Eugénio de Andrade

Adorei visitar-te, de ler e de sentir o teu poema. Agradeço a partilha do mesmo.

Hoje não me levas contigo, mas as tuas palavras... essas sim
Bj
Luis

Agulheta disse...

Amiga Chris! Nostalgico e repleto de silêncio,onde o amor se escapa,gostei de ler.
Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
silêncios melancólicos,
em langores compassados .
,
conchinhas deixo,
,
*

Vieira Calado disse...

Obrigado pela sua participação na minha postagem.

Bjs

Graça Pereira disse...

Hoje, quero levar-te comigo até ao meu blog. Porquê? Nomeação do Blog de Ouro. O prémio está á tua espera.
Beijo amigo
Graça

partilha de silêncios disse...

Nostalgico e forte !
Fica o silêncio... que pode ser reconfortante.

um beijo

Rita Carrapato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marta Vasil disse...

Do "silêncio", muito presente, no soneto ouvi a voz deste belo e talvez nostálgico poema. Um par perfeito:aguarela e poema

Um beijo