quarta-feira, 24 de março de 2010

Ebulição no Deserto



Na ebulição embutida das pedras
vigora  uma estranha deambulação,
 azul aceso no calor de outras eras
depravação da nossa eterna paixão

Em ti esbraceja uma nova heresia
Terra Santificada da falsa verdade,
fogueira arqueada desta melodia
dissipada na bruma da Trindade

Sou papoila espezinhada por um herege
 renascida na despovoação do amparo
onde transcende a retórica emparedada

És parede cimentada que a cobardia elege  
emoção cativada no pagamento do preparo
fuga duma só vida no sentido da espada



Momentos partem e  não te sei definir,
sentir-te basta-me...



Imagem : Salvador Dali, in "Woman with Flower Head" [1937] - colecção particular

32 comentários:

Ana disse...

Sentir. Sem definição, nem outro objectivo. Assim se constrói o poema.

antonio - o implume disse...

O amparo não é uma sombra projectada no chão, não se renasce das sombras...

Mona Lisa disse...

Olá

Sentir sem comprender não me basta!

Bjs.

SAM disse...

Querida Chris,

o título do poema, fala por si. Mesmo emparedada pela covardia a paixão é como esta papoila que teima em meio ao areal florescer, quando as pedras ainda guardam o calor.


Carinhoso beijo, amiga.

tossan disse...

Um texto profundo e magnífico de quem sabe escrever muito bem! Beijo

Everson Russo disse...

É muito gostoso esse sentir sem uma imagem definida, o invisivel que toca a alma, o pleno dos desejos,,,,um beijo de lindo dia pra ti.

Sonhadora disse...

Minha querida Cris
Lindo poema, muito profundo.

Sou papoila espezinhada por um herege
renascida na despovoação do amparo
onde transcende a retórica emparedada

Adorei...diz tudo.

beijinhos
Sonhadora

Agulheta disse...

Belo poema e bela definição do sentir!Por vezes os sentimentos assim são.obrigada pela visita.
Beijo e bfs Lisa

Manuela Freitas disse...

Belissimo!?...Sentir apenas...quando sw quer compreender pode escapar-se a magia!...
Bjs,
Manuela

Lilá(s) disse...

Sentir forte e profundo o teu! maravilhoso o teu estilo poético!
Bjs

José Carlos Brandão disse...

Que sensibilidade!
Não é preciso definir-se nada, mas extasiar-se.
Beijo.

Carlos Eduardo Leal disse...

Nem sempre o sentir é acompanhado do compreender e este não é o mistério (incessante e maravilhoso) da vida?
abraços, lindo blog,
Carlos Eduardo
Se puder me visite em: veredaspulsionais.blogspot.com

heretico disse...

absoluta entrega...

belo.

beijos

Vieira Calado disse...

Sentir e sentir-se, sim!

Mas por vezes não chega...

Beijoca

MARIA L. BÓZOLI disse...

Olá Chris,obrigada por me visitar.
Amei sua postagens.
Isso aki é divino.

Na ebulição embutida das pedras
vigora uma estranha deambulação,
azul aceso no calor de outras eras
depravação da nossa eterna paixão

Parabénsssssssss......Bom dia!!

Everson Russo disse...

Um beijo carinhoso de amizade e o desejo que tenha um belo final de semana.

Pelos caminhos da vida. disse...

Sentir apenas...

beijooo.

sonho disse...

Momentos partem e não te sei definir,
sentir-te basta-me...
Será mesmo que só sentir basta?onde fica a compreenção!
Muito belo este teu poema
Bom fim de semana
Beijo d'anjo

jefhcardoso disse...

Acabo de fazer um poema. Acho que ha uma sintonia no universo e ao ler o seu "Ebulição no Deserto" achei de deixar aqui o meu "Cuida Que O Amor É Teu" (poema inédito em meu blog, publicado em um blog que amo e colaboro)

jefhcardoso disse...

Cuida que o amor é teu

Não seria tarde para aquelas coisas?
Tarde da noite;
Tarde na vida;
Tarde demais?
Seria?

E o amor?
Passou ao longe?
Ficou na adolescência,
Antes da ciência do bem e do outro?
Ficou?

Onde é que ficou o raio do amor?
Se é que ficou.
Mas quem diabo disse que já era tarde para aquelas coisas?

Que diabo falou que era tarde da noite;
Tarde na vida;
Tarde demais?

Ora! Não dê ouvidos ao Diabo;
Ele fala demasiado
Fala pelos cotovelos
Pelas ventas
E pelas nádegas
E nunca é para o bem que fala

Ame agora
Não importa que achem cedo ou tarde
Tarde da noite
Tarde na vida
Tarde demais
Ame mais.

jefhcardoso disse...

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com com carinho

Sonia Schmorantz disse...

Quero ser o teu amigo. Nem demais e nem de menos. 
Nem tão longe e nem tão perto. 
Na medida mais precisa que eu puder. 
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida, 
Da maneira mais discreta que eu souber. 
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar. 
Sem forçar tua vontade. 
Sem falar, quando for hora de calar. 
E sem calar, quando for hora de falar. 
Nem ausente, nem presente por demais. 
Simplesmente, calmamente, ser-te paz. 
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender! 
E por isso eu te suplico paciência. 
Vou encher este teu rosto de lembranças, 
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...
Fernando Pessoa

Um domingo de paz e amor junto aos seus!
abraço

Hana disse...

Aiiiii que sonho aki, muito doce estou encantada mesmo, vou ficar por aki te seguindo, me transportando em cada poema, em cada verso seu, leio seu coração aki e gostei do que senti.
com carinho
Hana

Sofá Amarelo disse...

Há quem fuja no sentido da espada porque não sabe descortinar outros caminhos na ebulição embutida das pedras...

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema em forma de soneto muito sensivel e muito bem construído.

um beij

RETIRO do ÉDEN disse...

Adoro fotos do deserto.
Sinto um ágape olhando-o.
Os tons, consoante o Sol, os desenhos nas areiais consoante os ventos...
É duma beleza...tal como o mar/oceano, o Céu, as florestas!
Poema intenso e muito belo.
Forte abraço
Mer

Por toda minha Vida disse...

Feliz Páscoa, muita paz para todos, esqueçam a dieta e comam muito chocolate.
Coelhinho da Páscoa que trazes pra mim,
Um ovo, dois ovos, três ovos.
Coelhinho da páscoa que cores que tem?
Azul, Amarelo e vermelho também...

Baby disse...

Poema profundo, para se ler devagar, sentir e compreender.

Beijos.

A.S. disse...

Chris...

Um belo soneto, bem acompanhado por Dali!


BeijO
AL

Graça Pereira disse...

No reino dos afectos até o amor pode brotar entre as pedras mas...durará muito tempo? São como flores espezinhadas por passos no deserto...
"És parede cimentada que a cobardia elege"... "sentir-te basta-me..."
Beijo amigo
Graça

O Árabe disse...

Belo poema! Gosto da forma como você escreve, interiorizando o sentimento. Boa semana!

Secreta disse...

Sentir é tudo, talvez.