domingo, 14 de fevereiro de 2010

No enlevo da obra prometida




















Na liça do jogo provoco o teu sorriso até ao limite
cavaleiro deambulante na inversão da ilha devolvida
envolta em brumas revolvidas na inversão do luar,
nossas juras de amor como presas da obra prometida

Reencontro de almas Atlantes, planície além-Tejo
sonhos guardados em Sintra nesse tempo imerso,
submerso no vazio lunar da tua alma fundida
derradeira guardiã vencida - talvez, Universo

Debruo a obra na orla, corto e retiro o alinhavo
esbato nos confins do som a nova aguarela
no traço azul de cartas escritas em eslavo

Terra distante onde nasce o enlevo da tela
celebro em cálices o feitiço de todos os travos
no rasgo da voz, obra que concebi - talvez, "Ela"


 
...sorris, vejo-te pelo espelho retrovisor, sabes que a visão do vislumbre é "d'Ela"...

no caminho invertido tornas-te visionário incutido, na estranha telepatia da imolação dos sentidos, deixo-te seguir pelos atalhos das ruelas vespertinas da memória, mas à noite aterro nas palavras rejeitadas,  cartografia que sempre conheci.

...sustenho a respiração ao antever o teu próximo sopro, no continente submerso dos Deuses, onde não existem escrutínios, só sentires de quem conhece o momento a seguir – talvez, “Ela”. 


Paris, 21 de Janeiro de 2010

54 comentários:

direitinho disse...

Momentos diferentes, inconstantes mas presentes neste momento e agora.
Difíceis de segurar porque se vivem agora e se perdem no tempo.
Recordações que se gravam em locais românticos e com eles se bordam os sonhos.
Beijos

Anónimo disse...

Ola, what's up amigos? :)
In first steps it is really nice if somebody supports you, so hope to meet friendly and helpful people here. Let me know if I can help you.
Thanks in advance and good luck! :)

RETIRO do ÉDEN disse...

Venho desejar uns excelentes dias, em Paz e no enlevo do Amor...frio, mas com o Amor da obra prometida.
Forte abraço
Mer

Graça disse...

Sempre marcadamente bela, a tua escrita. Qualquer que seja a forma, o conteúdo deixa perpassar toda a tua sensibilidade [e as vivências].

Adorei.

Beijo, Chris, e boa semana.

Vivian disse...

...que encanto de canto!

escreves com o coração,
e isso é lindo!

bjbj

Pedrasnuas disse...

OUTRORA...E AGORA...EXISTIRÁ DESTINO?
OU ADORNAS A OBRA,CORTAS,RETIRAS...ALINHAVAS,
ESBATES...SEM DESTINO...

UM GRANDE BEIJO

Lídia Borges disse...

Tanta sensibilidade no "bem dizer"
destes sonetos tão lindos que nos oferece.

Obrigada!

Pedro Branco disse...

Paris, a minha cidade. Vim aqui parar já não sei como. Talvez volte um dia.

Mona Lisa disse...

Olá

Um belo texto, onde mais uma vez é notória a tua sensibilidade.

Bjs.

Cadinho RoCo disse...

Talvez, ela.
Cadinho RoCo

Flip disse...

...mas à noite aterro nas palavras rejeitadas...
à noite, quando essas palavras são ausentes, quando dão origem aos sentidos que elas próprias inspiram e nos transportam para a realidade desejada, Ela, sim, Ela é a causa, as palavras apenas flutuam no ar...
bonito Chris
:-)
beijinho

O Árabe disse...

Belo, Chris! :)Boa semana.

Manuela Freitas disse...

Olá Cris,
Gostei do que escreves, poesia e prosa muito profundas.
Fiquei presa a pensar nas tuas palavras enigmáticas...
Bjs,
Manuela

Virgínia do Carmo disse...

Há uma espécie de alquimia a povoar as palavras...

- Tão bem construído!

beijos...

Memória de Elefante disse...

A sensiblidade à flor da pele é "Ela" derramando sonhos na noite.


Muiot bonito!

Um beijo

Braulio Pereira disse...

ternura perfumes.
que lindo.

um beijo!!

Kimbanda disse...

A inesgotável leveza de ser poesia, aguarela colorida dos sentidos e das vivências retidas que alimentam a alma.
Um grato obrigado pela tua visita e reiterar o prazer de aqui vir e passar um tempo de qualidade.
Kandando.

Sofá Amarelo disse...

As ruelas vespertinas da memória são as que nos guiam pela imolação dos sentidos e nas aguarelas pintadas a traço azul... que os rasgos da voz se transformem em feitiços celebrados em cálices de palavras...

Marta disse...

Memórias, momentos....
Revisitados, mas em que se nota (ou não) qualquer coisa diferente...
Um prazer ler...Obrigada pela partilha
Beijos e abraços
Marta

Margarida Fernandes disse...

Boa tarde Chris,

Muito obrigada pela sua visita ao meu espaço.

Gostei muito do que li aqui.

Vou voltar e espero, também, que me visite de novo.

Até breve!

© Piedade Araújo Sol disse...

varias vivéncias. cidades diferentes, talvez uma ilha, gosto da maneira como brincas com as palavras e assim fazes poesia, quanto a mim de muito boa qualidade.

beij

mundo azul disse...

_______________________________


Sentidas são as suas palavras!
Gostei!


Beijos de luz e o meu carinho...

_________________________________

BAR DO BARDO disse...

Muito bem!

manuela baptista disse...

Chris

ela, dela, nela

tal como em Sintra
é um esoterismo sentido que aqui canta

cavaleiro templário
ou não
na liça prometida

Muito bonito!

um abraço

Manuela

tulipa disse...

Onde estarão os momentos certos?
um abraço
tulipa

Maria João disse...

Aqui cheguei, no momento certo!
Sinto-o especial e vou conhecê-lo melhor, absorvê-lo... porque levarei comigo algo de novo. Estou certa!

Um abraço

Lilá(s) disse...

Momentos únicos, diferentes, mas lindos por ti descritos tens o dom de colocar as palavras de modo tão sensivél!
Bjs

maré disse...

em laivos acesos
sentires mais fundos

feitiços
que a cor celebra


e a alma?

obra/tela
presa de juras
escrava da tua voz


.
beijo

Sonia Schmorantz disse...

Linda semana pós-carnaval, é agora que o ano começa de verdade!
beijos

Oculto disse...

um voo na memória que os sentidos deixaram em ti.

Beijo

AFRICA EM POESIA disse...

CHRIS
Deixo..

BEIJOS


Beijos são sempre beijos
De tarde, à noite...
Ou mesmo de manhã...
Deixam ternura...
Matam saudades...
E conservam a vida...

LILI LARANJO

José disse...

Olá Crris,

É bom passar por aqui, e ver boa poesia. gostei muito do Soneto, e de ver a imagem do cavalo e cavaleiro reflectida, no lago

beijo, José

A Magia da Noite disse...

é n'Ela que nos revemos, e nos sopros sentidos, as almas suspendemos.

Sonhadora disse...

Minha querida
Momentos maravilhosos, lendo suas belas palavras.


Reencontro de almas Atlantes, planície além-Tejo
sonhos guardados em Sintra nesse tempo imerso,
submerso no vazio lunar da tua alma fundida
derradeira guardiã vencida - talvez, Universo

Adorei.

beijinhos

jorge disse...

Foi gratificante a visita ao meu canto. Volte sempre que possível.
Bonito texto em que as palavras são embaladas por pensamentos de poesia e prosa reveladoras de muita sensibilidade e inspiração.
bj

Multiolhares disse...

Procuramos, voamos pelas vielas da mente , momentos vividos, pensados, sonhados
beijinhos

Graça Pereira disse...

"Debruo a obra na orla, corto e retiro o alinhavo, esbato nos confins do som..." e eu advinho neste jogo de palavras bem colocadas como peças de xadrez, quem dará a quem xeque mate!! Continuo à espera do momento certo!!
Beijos
Graça

Ana disse...

Seguindo ao encontro do momento certo para a Poesia!
Um beijo.

SAM disse...

Chris,

suas lembranças nos conectam com sentimentos sublimes. Faz advinhos na mente e coração do leitor. Tão belo!


Carinhoso beijo.

Vieira Calado disse...

...e é certo que o soneto está muito bem escrito!

Beijinho

avlisjota disse...

Olá Chris

Lindo o teu soneto!
"nos confins do som a nova aguarela"
e que bela, Ela é.

Beijos

uminuto disse...

antes de passar ao momento a seguir, detenho-me neste momento para viver a intensidade das tuas palavras
um beijo

José Rui Fernandes disse...

Sempre que aqui venho tenho que ler e reler estes poemas, tal a sua densidade e intensidade! Nada que se "ingira" de um só trago!
Poemas para apreciar com calma, como quem saboreia um bom Porto e lhe tenta desvendar a complexidade...

Um beijo

margusta disse...

Chris,

...ADOREI lê-la !

Em Paris ou não, escreveu com muita inspiração!

Deixo-lhe um beijo e votos de um bom fim de semana

Margusta

heretico disse...

gostei muito do poema. imagens muito belas

"o feitiço de todos os travos" fica a latejar na memória ...

beijo

bruxamarytsha disse...

Lindo, beijocas

Baby disse...

Em Paris tudo é possível, e os momentos certos multiplicam-se.
Que assim seja.
Beijo.

Nilson Barcelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson Barcelli disse...

A tua escrita, neste texto poético, é assombrosamente bela. Vale a pena ler palavras como as tuas. Parabéns, querida amiga. És uma escritora com E grande...
Boa semana, um beijo.

Vera Y. Silva disse...

A terra prometida, se formos felizes, é o lugar onde estamos.

Eduardo disse...

Momento certo

Excelente título para tão excelente blog

Também eu guardo na memória e sobretudo no coração os momentos certos e gostosos que a vida nos dá

Beijo carregadinho de ternura

O Árabe disse...

Aguardo o novo post... no momento certo. E te desejo uma boa semana! :)

poetaeusou . . . disse...

*
como é possivel,
desenhar a sensibilidade,
numa folha do coração,
,
conchinhas, ficam
,
*

antónio paiva disse...

...

aprecio estas brumas.

abraço