segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pedra Viva


Quebro a pedra que queda
Com um sopro silenciado
Resenha que o tempo veda
Ao teu sorriso amordaçado

Conheço esse nome desprovido
De raras rendas e velhas lendas
Como lâmina fina dum tempo ido
Folha de rascunho sem emendas

Pedra viva do teu beijo
Mármore em labareda
Mar do qual não transijo

Pedra viva do teu beijo
Poemas e lençóis de seda
Noite azul do meu Anjo





Imagem: Escultura em mármore de Auguste Rodin
[Paris-12 Nov.1840 / Meudon-17 Nov.1917],
exposta no Museu Rodin - Paris.
http://www.musee-rodin.fr

40 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Bela pedra, com a delicadeza de uma poesia para enlevar.
Beijo.

Faces de Mulher disse...

Boa noite Chris!!!

Estou participando da promoção "Solar Repair Verão"
Do blog Pri em forma
Gostaria muito de ganhar esta promoção.
Para que eu ganhe devo ter o maior numero de comentários, gostaria muito da ajuda de vocês.
Vocês podem ajudar-me deixando comentários em minha foto que esta participando da promoção no link abaixo:

http://www.flickr.com/photos/mix_use/4008572722

Não tenho a certeza, mas, creio que só é possível deixar comentários, quem tem e-mail no yahoo.
Conto com vocês
Desde já agradeço a colaboração
Chrys
;)

Maria Valadas disse...

Gostei do soneto!

Inspirado na Pedra do escultor.

Beijo.

direitinho disse...

Bom dia
Obrigado pela visita e o seu comentário.
Gostei muito do seu soneto.
Trabalho bem conseguido e uma mensagem perfeita.
Umas vezes as ideias correm assim como o vento, mas muitos dias torço e retorço para conseguir arrumar uma ideia-uma recordação-um desejo....

Antonio saramago disse...

Muito obrigado!!!
Mais um belissimo cantinho que tenho para visitar...

Lídia Borges disse...

A escultura é maravilhosa e as palavras, como sempre, plenas de sensibilidade poética.

uminuto disse...

um beijo que torna azul a vida
lindo

Mar Arável disse...

Que seja sempre

um vagaroso instante

Bjs

O Profeta disse...

Corre assombração
Vai para outro mundo numa toada de vento
Afasta de mim este cálice
Deixa-me aprisionar a morte na vida por um momento

Deixa-me sentir com a alegria dos sentidos
Deixa-me acreditar no voo do por-do-sol
Deixa-me beijar as águas de um lago feliz
Deixa-me navegar sem rumo, perder o control



Mágico beijo

Gilson disse...

Obrigado pela sua visita. Bonito mesmo seu poema e essa estátua de Rodin é minha preferida.

Abs

manuel marques disse...

Grato pela visita,volte sempre que queira.

Abraço.

Memória de Elefante disse...

Bela imagem
"Pedra viva do teu beijo
Mármore em labareda", diz tudo !

Um Beijo

Pensador disse...

E o calor do amor faz pulsar o coração da fria pedra, fazendo viver o ser amado.

Pedrasnuas disse...

UMA ODE EM SONETO AO BEIJO DE AUGUSTE RODIN...

MARAVILHOSO!!!

BEIJO

AFRICA EM POESIA disse...

Chris
Minha amiga gosto de ver que a poesia é para ti...
Adorei estar aqui e ler boa poesia...

um beijo

CHEGOU O PINTOR


Vinha vestido de preto...
Com boné preto e lindo...
Vestia uma bata branca...
Para cobrir o fato...
E não deixar a tinta passar...

O pintor pega na paleta...
Coloca um emaranhado de tintas...
Tintas de todas as cores...
Verdes, amarelas...
Roxos, azuis e encarnado...

Pegou no pincel...
E com arte...
Com saber...
Com magia...
Entrelaçou as cores...
Entrelaçou o seu saber...
Entrelaçou afectos...

E no fim eu olhei...
E nun canto...
Num canto muito especial...
Eu vi...
Umas pintinhas...
Volto a olhar...
E nessas cores...
Nessas pintinhas...
Eu vi que era... "eu"...

LILI LARANJO

Contracena disse...

Boa noite Cristina!
Venho agradecer e retribuir a visita.
Poesia..., é como eu escrevi no "Mar Arável": poesia lê-se. sente-se.
Sou muito má a comentar.

Mesmo de pedra..., é um beijo.
E não é um beijo de qualquer um, é de Rodin!

Abraço.
Fátima

Virgínia do Carmo disse...

Chris, vergo-me à excelência das suas palavras, e agradeço a passagem pelo lugar dos sentidos...
Beijinhos!

Aqui - Ali - Acolá disse...

Em pedra escultura verdadeira ou formada por mãos talentosas, uma imagem tão bela se depara perante o nosso olhar.

Poema que traça um lampejo de vida no tempo de renascer muitos sonhos.

Em lençóis de seda azul, Anjos afagam os rostos para o beijo desejado.

Bjos, felicidades no novo dia.

Xana disse...

Que pedra tão quente que senti ao ler esta tua poesia, lindo :)

beijo meu

Sofá Amarelo disse...

A pedra viva tem vida quando queremos... a pedra é só um estado de... espírito! O beijo é um estado de... alma!!!

Muitos beijinhos!!!

FrancK P_LavD disse...

Olá Chris,
Muito obrigado pela sua visita e comentário.
Soneto maravilhoso, parabéns!
Abraço,
FrancK

Cadinho RoCo disse...

No viver da pedra estrias de um tempo gravado em rígido silencio.
Cadinho RoCo

RETIRO do ÉDEN disse...

Querida Cris,

Além das esculturas aprecio bastante o seu traço em desenho.

Lindas palavras alusivas à bela escultura de Rodin.

É sempre uma distinção o seu comentário. Percebe-se que não é para despachar serviço... é sentido e honesto. Por isso, agradeço sempre a sua visita ao nosso "retirito". Espero que continue a visitar-nos.

O tema do post seguinte (para próxima 2ª.feira) será uma história que parece surreal...mas infelizmente é demasiadamente verdadeira. Será, para mim, um privilégio a sua habitual atenção, assim como o respectivo comentário.
Até lá!...

Bjs.
Mer

Paulo Sempre disse...

Faz-me bem visitar este espaço.
Na verdade a alma também precisa de alimento. É alimento para a alma que, se me o permitir, venho aqui buscar.
Beijo
Paulo

© Piedade Araújo Sol disse...

Inspirada na escultura em pedra a autora brinda-nos com um soneto muito bem dileneado e belo.

Muitos parabéns!

Deixo um beij

AnaMar (pseudónimo) disse...

Um beijo sólido.
Um poema construído pelo sentir.
Uma imagem intemporal.

Bj

Juan José disse...

Hasta la dureza se vuelve tierna con un beso, excelente trabajo po�tico.. Un abrazo hasta alli..

Juan Jos�

Graça Pereira disse...

A poetisa tornou-se escultora e burilou os versos num soneto MAGNIFÍCO.
Um beijo
Graça

poetaeusou . . . disse...

*
tu és a pedra,
da memómira dos momentos ...
,
conchinhas de luz, deixo,
,
*

Baby disse...

"Pedra viva do teu beijo
Mármore em labareda",estas palavras dizem tudo o que uma alma apaixonada alberga...
Agradeço a tua visita e as palavras de apreço.
Beijos.

neo-orkuteiro disse...

Pelo pouco que já li, pude no entanto perceber que gosto de sua poética.
Pedra viva tem construção clássica, com bastante personalidade.
Sigo-a, daqui por diante.

Maria Valadas disse...

Reli o poema...
Bem haja quem tem o Dom da palavra... como tu.

Bom final de semana.

Beijo.

maré disse...

a escultura das palavras
mármore do amar esculpido na pele

____

obrigado pela terura da apreciação

deixo um beijo, líquido.

Marcelo Novaes disse...

Chris,



Afeto flagrado-congelado em mármore.






Beijos,





Marcelo.

Lilá(s) disse...

Boa inspiração! belo soneto!
BJs

ADiniz disse...

A pedra que quebro
é pelo beijo não sentido
arenito grão
dissolve em minha mão

pelo suor de minha imagem
beijando sua boca fria
decompõe pedra bruta
recomponho corpo solido

Rodin...
É descanso pro olhar e bom de viajar
Bjinhos e uma ótima semana a vc.

RosanAzul disse...

oLÁ CHRIS!
SOBREVOANDO TEU ESPAÇO, POUSANDO MEU ABRAÇO!
LINDO DEMAIS TEU ESCRITO! PARABÉNS!
BEIJO AZUL!
ROSANA

O Árabe disse...

Belo. Imagens e versos que se complementam. :) Boa semana!

Ana disse...

Pedra viva ... a escultura e o poema!
Um beijo.

Chris disse...

Mais uma vez, obrigado pela passagem por aqui de todos, mesmo os que passam só de passagem...

Chris