quinta-feira, 3 de setembro de 2009

As Oito Faces Lunares


São conhecidas quatro fases lunares (quarto crescente, lua cheia, quarto minguante e lua nova), mas existem mais quatro fases e faces que designamos como intercalares, oito do nó existencial da casa VIII, a passagem da porta oculta de Escorpião, a morte do ego e a passagem para a transcendência consciente.

O “ I Ching” (a minha bíblia e o livro mais antigo de sabedoria taoista) define os movimentos possíveis das oito etapas das mutações, onde se desenvolvem os trigramas e os hexagramas, berço exuberante da dinâmica entre a noite e o dia, dança sibilante entre a lua e o sol, transição perene da inconsciência para a consciência…

Existe um equívoco na tradição cultural ocidental: “to be or not to be” – de Hamlet (Shakespear). Em todos os humanos habita o ser “E” (e não “OU”) o não ser. As polaridades integram-se, na conjunção copulativa e não alternativa, pois somos e não somos ao mesmo tempo. Somos sol e lua, dia e noite, luz e trevas...

Somos um todo e não uma só parte, não somos seres polarizados, procuramos a eterna integração, um caminho eterno na procura da Unidade.

OM – a Via da Universalidade, representa a síntese dos opostos, essa eterna procura…

A Lua define o nosso vazio primordial, os nossos medos que devem ser encarados, e só depois integrados. O vazio da alma, o lado branco que a noite procura, a tela dolorosa que procura ligar o Universo, mas que ainda depende da cisão do mesmo.

Por isso, sei que o Amor é Uno, não são dois, pois no Amor não existem polaridades, mas integrações. Assim, a Lua resolve-se de dentro para dentro, quando decidimos abrir o vazio, e assim integrar a nossa lua.

A Lua é aquilo que ainda não é, noite branca interior…

Esta foi uma noite de Lua Cheia em Virgem, talvez por isso, hoje tentei dizer pequenas coisas sobre o lado lunar…

Uma Lua a 25 graus em conjunção com Vénus a 23 graus de Virgem, na Casa VIII (escorpião)

Outra Lua a 29 graus de Capricórnio a entrar em Aquário quase no Meio-do-Céu, na Casa IX (sagitário)


Tudo começa a fazer sentido, numa integração lenta…
todas as matrizes contém a solução da transposição desse nó (oito) existencial…




Lua

Esse branco vazio
de não-ternura,
esse fundo, esse frio,
essa lonjura.
Noite da nossa mágoa.

Prende à Terra onde estou,
e não segura
essa insuspeita sede de doçura.
Poço da nossa água.

Água, a minha, a tua,
elemento filtrado pela Lua
onde passa e flutua o Sentimento
nesse nocturno Tempo.

Rio de tão longa margem.
Fio de estreita passagem
onde corre subtil a vibração
da mais profunda e íntima Viagem,
linguagem de emoção...



Maria Flávia de Monsaraz [2001]

12 comentários:

SAM disse...

Chris, gostei da introdução e amei o poema pela extrema sintonia e sensibilidade da autora. Estamos acostumados a poemas sobre a lua de um ângulo comum, inserida num contexto. Este, a autora apresentou a face da lua, como identidade e características. E tudo em versos de grande beleza poética.


Carinhoso beijo

Rosan disse...

Oi Chis.
Muito intersante teu blog,
Gostei das fazes da lua.
Tenho tantas coisas ainda a aprender, que o tempo que resta desta vida não será suficiente.
Um grande beijo.
Rosan.

Alegria disse...

Chris.

Vir até teu espaço além de prazeroso demais e muito rico em informação e eu adoro aprender sobre fatos que desconheço. E depois relaxar lendo tuas poesias, textos.

Beijo e parabéns.

Renata Vasconcellos

Palma da Mão disse...

A Lua brinda-nos com um mergulhar no mistério, um dedilhar que de tão próximo se torna longinquo, uma vontade de poder tocar, guardar num cantinho,por um bocadinho só para nós...
Obrigada pela visita, e parabéns pelos espaços:)
beijinhos

Pedrasnuas disse...

SIMPLESMENTE DIVINAL!!!

MANIFESTO A MINHA IGNORÂNCIA ACERCA DO ASSUNTO...CONHEÇO AS QUATRO FASES E ...:)

A TUA LUA QUE RODOPIA A LETRAS ESCURAS MAIS ABAIXO EXIBE UMA FACE POÉTICA QUE PROVOCA INVEJA ...

E DESTA LONJURA DESEJO-TE BOM FIM DE SEMANA

BEIJINHOS

Ana disse...

A Lua e os seus sentires num belo poema.
Um beijo.

cristinasiqueira disse...

Oi Chris,

Em virgem...tudo se analisa na busca da perfeição.
Frutifica sua generosa clareza de conhecimento.Colhi por aqui frutos saborosos de erudição.
Interessante a soma dos oposto,as 8 luas.Texto de aprendizagem e reflexão.E para degustar um poema leve.
Gosto de seus comentários nos blogs.
Tem post novo no Cristinasiqueira.


Com carinho,

Cris

LUZ!

bruxamarytsha disse...

Maravilha, explanação e poesia. Moro mesmo numa rua assim, beijocas

Agulheta disse...

Chris. Gostei de ler a intrudução e das faces da lua,logo de seguida um poema sobre a mesma de versos poéticos,mas fiquei a pensar nisto aqui "Outra Lua a 29 graus de Capricórnio a entrar em Aquário quase no Meio-do-Céu, na Casa IX (sagitário)" como sou sagitário?

Beijinho boa semana

© Piedade Araújo Sol disse...

gostei da introduçao e do poema que escolheu.

fez uma boa parceria.

um beij

Chris disse...

SAM: obrigada pelas suas palavras, repletas de entendimento.
Uma boa semana para si.

Rosan: é verdade - a vida é curta para o que falta...
Um beijinho e volte sempre

Renata (Alegria): é um prazer a tua visita neste meu cantinho.
Bjs

Palma da Mão: e dedilhando palavras, agradeço a visita.

Pedrasnuas: a tua presença por aqui, merece dizer-te mil vezes obrigada. Um beijo grande

Ana: obrigado pela sua visita.
Bjs

Cristinasiqueira: a erudição dos velhos mestres diz-nos que existe uma causa maior para a evolução.
Virgem e a sua a eterna busca de perfeição, onde talentos se redefinem cheios de acuidade…
Uma semana cheia de Luz...

Bruxamarytcha: assim, fico feliz.
bjs

Agulheta: é verdade, a casa IX (sagitário) abre para a universalidade, a morte do ego acontece na casa VIII (escorpião).
O sagitário aponta a sua seta simbólica para o céu, nessa busca duma fé universal.
Um beijo grande

Piedade Araújo: um prazer a sua visita que muito me honra.
Bjs

Chris

simplesmenteeu disse...

Tento alcançar o recorte em que a Lua te desenha.
Una, na divisão dos contrários!
Perfeita, na conjugação metafísica de um sentir feminino e lunar.

Fiquei fascinada por esta forma poética de oferecer o conhecimento.

Beijos