terça-feira, 31 de março de 2009

Até quando?




Hoje não me apetece escrever neste espaço público, a escrita desagua no local certo, águas privadas que não irei revelar... aqui.

O Deus da Crueldade entrou em movimento retrógrado, com Urano trígono a Urano:
conseguirá olhar dentro do seu próprio olhar? Talvez…

Urano Trígono Urano -
final de Março 2009 até final de Fevereiro 2010:
a mente cósmica superior procura a triangulação perfeita na sua própria mente superior. A aprovação dos outros é pouco… muito pouco, para quem quer mais (mais demais!). Poderá ser o momento de abandonar aquilo que já não lhe apetece fazer.
(senhoras idosas em cadeiras de praia, para os lados de Viana do Castelo, com aqueles foguetes estridentes... confessou-me no final do Verão de 2004…)
O momento certo aproxima-se. Urano trígono a Urano.
Os rapazotes com jarros de vinho tinto, o cheiro a suor do povo, aquele espectáculo primário, sem sofás de pele fina, meras cadeiras de plástico barato...
Urano propõe, desafia a mente superior…

Encontrar a conjugação perfeita com outro ser, recomeça (eterno recomeçar da espiral secreta!) a ser, outra vez, possível… perto do quarto azul que ficou desarrumado por uma energia externa, que regressou no momento errado.
Este tempo é nosso, espaço onde desafiamos as palavras e o papel, figurantes como adereços vivos, como a funcionária da vida que voltará ao seu destino, muito para além do Norte, não que tenha culpa, mas, por que esse é o presságio, mais que adágio do “Momento Certo”…



Dormem entre nós dores que não
conheces. Adormeceste primeiro –
e o meu passado é um relógio antigo
que arrelia o silêncio. Se me tivesses

dito o teu nome quando chegaste,
podias fazer já parte destas memórias.



Maria do Rosário Pedreira, in “Nenhum Nome Depois” [2004](*)


(*) um dos livros que nos marcou... agora, começamos a saber porquê...


Imagem 1 e 2: Sonhos e romances premonitórios...

Sem comentários: