sábado, 25 de outubro de 2008

Granada




Quando há três anos me convidaram para participar num estudo relativo às correntes migratórias, não hesitei e aceitei… era uma oportunidade de sair daqui, fugir do que estava a sentir, do medo de explosão do meu Plutão conjunto a Marte na casa V (leão) a qualquer momento.
Agora, sei (não acho), pois o sentir está na alma, o achar no ego, que fugir do medo é implodir, é enganar a natureza de Deus.

Em Outubro parti para Granada, cidade que não conhecia, que me apaixonou pela cor, pela luz, pelos tons fortes dos cheiros e dos sabores, o mercado onde se encontram chás e temperos intensos, e claro… o que senti quando entrei pela primeira vez em Alhambra (séc.XIII), com os seus arabestos recortados até à exaustão da perfeição. Percebi naquele momento parte das minhas raízes andaluzes.

Redescobri García Lorca, na casa onde passou férias nos últimos dez anos da sua breve vida, de 38 anos. Do jardim com milhares de rosas que integram a Huerta de San Vicente…

Guardo de Granada o tempo breve… as cartas que lhe escrevi, estão depositadas depravadamente, não no jardim dum Amor eterno, mas entrelaçadas com papelada cúmplice da cobardia, numa descida abissal às fundições efémeras do ego…
… só na Alma, vive este Amor desancorado.


SONETO DA CARTA

Amor do peito que em morte se converte,
em vão espero tua palavra escrita
e, com a flor que o tempo debilita,
sei que, se estou sem ti, quero perder-te.

O ar é imortal, a pedra inerte
a sombra não conhece nem evita.
Coração interior não necessita
do mel gelado que esta lua verte.

Por ti sofri, rasguei as veias plenas,
tigre e pomba, sobre a tua cintura
em duelo de dentadas e açucenas.

Dá, pois, palavras à minha loucura
ou deixa-me viver nesta serena
noite da alma para sempre escura.


Frederico García Lorca, in "Sonetos do Amor Obscuro" [1936]

Foto 1: García Lorca (Granada: 1898-1936)
Foto 2: Rosa da Huerta de San Vicente (Chris, 2005)
Foto 3: Patti Smith na sala do piano na Huerta de San Viente (1998)

1 comentário:

Anónimo disse...

Pois. Pensa, em ti.
P