terça-feira, 1 de abril de 2008

A Pena


Não vale a pena dizer, calar, consentir.
A palavra existe, escreve-se, sofre-se,
habita e pulsa
no espaço de um gesto vestido
de sonoridade
na permanente convulsão
do ansiar a chegada dos corpos
que se procuram
no escuro.

Não vale a pena vencer, estar, ser.
A palavra existe e rasga a carne,
a alma, a centelha
da recusa,
o breu incólume
da transparência.

Não vale a pena
a pena
da inocência.


José António Gonçalves, in "Esquivas são as Aves" [2001]


(Só o amor desmedido nos vale a pena e é o amor.)

2 comentários:

Anónimo disse...

Vale sempre a pena, mesmo quando nada fica, talvez tudo fique. O amor vale sempre a pena. Agora percebo que no meio de tanta loucura, estás no caminho certo.
Dá tempo ao tempo.
Bj
Gabi

Anónimo disse...

Uma palavra : Excelente
Bjs
MG